domingo, 25 de fevereiro de 2018

Da infância pobre à aprovação em Farmácia na Federal

Já escrevi aqui meu trajeto desde que larguei a farmácia até a aprovação em Medicina. Também tenho um texto escrito quando eu ainda fazia farmácia, contando minha vida na época. Agora, queria  descrever a história da minha infância pobre à aprovação em Farmácia na Federal.

Foto da Casa que vive até os 16 anos
Preste atenção na janela ao fundo
A minha formação, no ensino fundamental e médio, foi feita toda em escola pública. Minha mãe teve 3 filhos e meu pai abandonou ela quando eu tinha em torno de 6 anos - nunca mais voltou, muito menos pagou pensão. Morávamos em uma casa (emprestada) em que minha bisa vó havia criado seus filhos - a casa tinha mais de 80 anos! 
Minha mãe estava sozinha, com 3 filhos, sem casa própria e emprego. 
A esquerda interior da casa, note a modernidade da estrutura e do sofá
A direita entrada da casa, a gente brincava com o cachorro colocando uma sacola de supermercado nos buracos que a casa tinha

Felizmente, em pouco tempo, ela conseguiu um emprego em um mercado da minha rua. Fazia de tudo, era caixa, repositora de loja, faxineira e qualquer coisa que precisasse. 

Interior da Mansão, tinha até um fogão a lenha no fundo

Assim que meu pai foi embora, reprovei na 1° série do fundamental - minha mãe não tinha tempo para ficar em cima de mim, e eu era um merdinha. Dessa forma, bola de neve só foi aumentando. 
Na adolescência, fui um completo idiota. Adolescente revoltado, amigos vagabundos drogados (assim como eu), gazeando aula e se sentido o poderoso. Minha mãe, tentava de tudo para me por na linha, mas eu era retardado. Quando chegou o ensino médio, comecei a trabalhar como bolsista na biblioteca da escola, meu primeiro emprego remunerado - esse dinheiro pagava a passagem do ônibus, pelo menos fiz algo útil com uma parte dessa grana. Fiquei na biblioteca até me formar. Como não estudei direito durante toda minha vida, quando acabei o ensino médio não passei no vestibular - pobre fudido, ou faz universidade pública ou não faz nada. A única saída era um emprego subalterno para sobreviver e pré-vestibular. Virei repositor de supermercado. Fazia pré-vestibular das 8:00h às 12:00h e trabalhava das 13:00h às 22:00h - pensa numa vida de merda, mas eu precisava de um choque. Foi nesse ano que eu acordei para vida. Essa frase na minha história faz todo sentido. Quando cheguei no supermercado, me deparei com as pessoas mais pobres que eu já havia visto (imigrantes do norte do país, moro no sul) e percebi que, se eu não mudasse o rumo da minha vida, eu seria um deles. Foi nesse ano que minha personalidade começo a amadurecer. 
Veio o vestibular....não passei - é impossível alguém reverter toda merda que fez em uma vida em 1 ano, acho que ainda hoje não reverti. 
Então fui para o segundo ano de cursinho, porém troquei de emprego. Virei comprador de ônibus. Profissão que me deixava estudar durante o emprego. Na metade do ano fui aprovado em Química no Instituto Federal (período noturno). 
Olha o que eu fazia: começa no ônibus as 5:00h, saía as 9:00h; ia para o pré-vestibular e fica lá até as 17:00h, depois seguia para a faculdade. Dormia depois da meia noite. 
Até que chegou o vestibular e finalmente passei para farmácia na federal. E esse é o resumo da minha história.
Como eu havia dito, da farmácia à medicina eu contei no outro poste. 

Um abraço a Todos! 

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

COMO PASSEI EM MEDICINA


A história é simples (hoje), na época foi difícil. Como já havia escrito aqui antes, eu fazia farmácia na Federal e tinha um ótimo estágio de iniciação científica - era o melhor laboratório da universidade. Estava no 3 ano de farmácia e tudo ia "bem", se encaminhando. Meu objetivo era terminar farmácia ,fazer mestrado e doutorado na área que estava (farmacologia) e virar professor/pesquisador universitário. Então, por diversos motivos, resolvi fazer medicina (depois faço um post explicando porque eu troquei de curso). Assim começo a batalha. Era maio-junho de 2014, tracei um plano e fui a luta.


Minha visão do vestibular pra med

O PLANO 

Ele era simples. Eu não tinha dinheiro para pagar cursinho, não tinha apostilas nem muitos livros didáticos. Então pensei, vou estudar em casa todo dia das 8h às 22:00h de segundo a sexta (eu trabalhava no final de semana como Barman) até o vestibular, caso não passe pego um bolsa de estudos em um cursinho pré-vestibular (visto que minha nota no vestibular será boa - isso foi o que eu imaginei). Para estudar fui catando material aos poucos (livros, apostilas e etc), utilizei a biblioteca pública. E claro fui adequando. 

Expectativa



Realidade


Foi foda...fiz um grande esforço aquele ano. Não era só porque tinha que passar em medicina, era uma mudança no estilo de vida. Tive que me reformular como indivíduo - era vagabundo e não sabia. Além claro, da falta de estrutura, pois não havia professor para explicar a matéria, nem para tirar dúvida!

Veio o vestibular e....não passei. 😭😭😭

Reprovado

Nas férias de verão nem parei direiro, já fui estudando pro vestibular. Então levei meu resultado do vestibular aos cursinhos e fui negociando. Até que surgiu um ótima oportunidade. Pagava uma pequena taxa por mês e fazia pré-vestibular extensivo (o ano todo) no período noturno. Assim sendo, fui estudando e estudando. Em maio de 2015 deixei o emprego de barman - estava com uma hérnia de disco. Isso teve um lado muito bom- podia ficar plenamente focado na medicina. A rotina era simples, cursinho a noite e estudo de dia. Não fazia mais nada, nem atividade física. 

Eu dentro do cursinho

No meio do ano fiz alguns vestibulares, apenas para treinar, e acabei  ficando em 3° em engenharia. Com isso, o cursinho me transferiu para o período matutino - onde ficam os melhores alunos, por isso bem mais caro. Estava bem confiante, estudando como nunca. A vitória era certa! 😀😀

Veio o vestibular e....não passei. 😭😭😭

Reprovado pela segunda vez

Foda...a vida estava uma merda. Mais um verão sem descanso e se sentindo um lixo. 26 anos, fora da faculdade, sem emprego, sem dinheiro ( vivia na casa da minha mãe e ela me ajuda com 200,00 por mês, mas mesmo assim era muito pouco). Meu maior "patrimônio" era uma moto de 2300 reais.

Voltei aos cursinhos pedindo bolsa de estudos, felizmente, um me ofereceu uma bolsa de 100% no curso extensivo matutino. Ou seja, não pagava nada e ainda ganhava o material de graça. Então voltei ao cursinho em fevereiro de 2016 e fui indo. Até que no início de março recebi uma notícia inesperada. PASSSEEEIIIII. Estava em uma lista de espera e havia sido chamado.

https://investidoruniversitario.blogspot.com.br/
Aprovação em Medicina. 
Uma das melhores sensações da minha vida

É isso ai pessoal, um total de quase 2 anos para aprovação. Depois escrevo mais alguns detalhes da história. Hoje estou no 3° ano da faculdade de medicina. 

Um abraço a todos! 


VOLTEI!!!


Estava em nostalgia lembrando da minha vida a 4 ANOS atrás. Até que cheguei até esse humilde blog que possuía. Então resolvi reativá-lo.  Minha última postagem foi em Maio de 2014! A vida mudou muito desde de lá. Vou contar aos poucos o que aconteceu.

É isso ai pessoal.

Abraço a Todos.